Maternidade - É hora de conhecer esse mundo? 

Olá meninas, hoje quero falar um pouco com vocês sobre maternidade, na real é um leve desabafo e quero muito saber a opinião e experiência de vocês, porque como sabem sou apaixonada por histórias...

Pois bem, neste mês farei 25 anos de idade, e no mês passado completei 4 de casada, aí já sabem né começam as cobranças chatas ou até mesmo as perguntas normais de amigos...

Quando vão ter filhos?

Pra responder essa pergunta preciso primeiro expressar o que eu vejo como MÃE, meu conceito sobre essa palavra é: Alguém que vai abrir mão de MUITA coisa para honrar esse título, alguém que vai parar de trabalhar ou mudar o horário de trabalho para poder conciliar tudo, que vai mudar a rotina TOTALMENTE, que vai ter muito mais responsabilidade, que vai engordar e depois vai ter que ter paciência com seu corpo...enfim tudo isso e mais um pouco. Não vou falar aqui nesse post sobre o que é ser Pai, pois estou falando de mim, e não de meu marido que inclusive é a pessoa com quem eu mais jogo aberto sobre esse tema, afinal enfrentaremos esse mundo JUNTOS!

SOBRE O FILHO:

Vejo que algumas pessoas depositam sua felicidade na criança que está chegando, afinal não é incomum saber de histórias que o casamento andava mal, aí ciclana engravidou...

Ou até mesmo pessoas que estão bem, porém apostam uma vida COMPLETA quando o filho chegar, gente minha opinião ok, acho isso bem errado, um pequeno ser, vir com essa grande responsabilidade é muito coisa. FILHO é pra SOMAR e não COMPLETAR nada, afinal ele não será perfeito, terá seus erros, suas limitações e talvez até deficiências.... portanto acho que essa fantasia que se criou em torno deles é surreal.

Por exemplo famosos, que fazem uma novela em cima da maternidade, e depois festas que mais parecem de gala para comemorar cada mês....e blá blá blá! Um pouco de exagero né?! Já que a vida real não é assim!

 

Eu comecei a trabalhar muito novinha, e sempre tive minha independência financeira, hoje sempre falo que caso eu engravide vou parar de trabalhar por um período e depois pretendo não ter mais a mesma rotina de hoje, que é sair de casa ás 7:50 e voltar as 20:00, pretendo desacelerar para ser mãe, por isso hoje não é o momento, em minha parede tenho recortes de revistas com figuras que representam meus sonhos, para olhar para eles todo dia (um dia vou fazer um post sobre isso), e todos eles estão antes da maternidade. Vou resumir um pouco do que eu penso, se depois de ser mãe eu vou me preocupar MUITO por no mínimo uns 20 anos, até meu filho se encaminhar na vida, e mesmo depois disso eu sei que sempre vou estar preocupada, porque não adiar entaõ? 

Porque hoje eu sou o centro da minha vida, e não tenho vergonha de dizer isso, acabei de acordar e eram 10:54 da manhã (pq estou de férias), isso não vai mais acontecer quando eu tiver filho, nem isso nem uma série de outras coisas, como almoçar cachorro quente com meu marido, como passar o domingo no sofá, como sair quando queremos e para onde queremos, então me diga pra quê a pressa????? Se no mínimo dos 30 aos 50 eu vou viver muito mais para eles do que para mim. É egoísmo curtir o meu momento? Minha fase, onde estou tão realizada e feliz?

Egoísmo é ter um filho e não cuidar dele, egoísmo é negligenciar a educação e a  alimentação dele por falta de tempo, isso é egoísmo!

Filhos requerem atenção, amor, cuidado, zelo, requer que você pare e faça lição de casa, que você perceba se ele está tendo dificuldade nisso, eu quero ter TEMPO para eles, e não acho que estou errada por pensar assim.

Eu não tenho nem cachorro, porque fico com dó dele ficar sozinho em casa, imagina....

 

MAS CASO VENHA ANTES THAU?

Eu não tomo anticoncepcional, inclusive posso falar um dia sobre isso se vocês quiserem, parei a pouco mais de dois anos, e amei tirar essa DROGA da minha vida, pois bem,nos cuidamos muito, maaaaaaaas se mesmo assim eu engravidasse hoje, eu não iria colocar na cestinha pra doação né gente, eu simplesmente, deixaria meus planos para depois e colocaria minha vida nos eixos, pensando no bem estar da minha família com toda certeza. Até porque acho que existem fases que precisamos estar perto, e ninguém poderá substituir, como dentinhos, vacinas, começar a andar...essas coisas.

Hoje sou gerente de loja, e lógico que minha renda faria diferença, mas mesmo assim, nem que nós ficássemos apertados, eu ficaria em casa por pelo menos um ano, mas isso é o que EU PENSO e não é por isso que é o certo. Fazer isso significaria depender financeiramente do meu parceiro, o que pra mim seria difícil, não escondo nada que compro dele, mas também não preciso pedir, afinal trabalho muito, acho que ele nem sabe quanto custa uma calça jeans rsrsrs, um dia falei quanto era pra retocar minhas mechas ele quase entrou em choque kkkk.  

Eu tenho muitas amigas que não podem deixar suas carreiras ou que podem contar com a ajuda da mãe, sogra ou tia para cuidar, esse não é o meu caso. Minha mãe e sogra tem suas ocupações e longe de mim querer mudar a rotina delas.

Sempre leio sobre mulheres que resolveram trabalhar em casa para poder cuidar dos pimpolhos e acho isso o ideal, porém para quem não pode, acho que nenhuma criança vai morrer de ir pra escola cedo, mas é preciso lidar com as consequências dessa terceirização.

 

THAU VOCÊ TEM VONTADE DE SER MÃE HOJE?

Não. Não tenho nadinha. Porém sei que tudo o que é meu Deus está preparando, e sempre em minhas orações peço a ele que esse instinto maternal me possua de forma que eu construa uma bela família com meu amor, mas se eu disser que tenho vontade agora é mentira.

 

SUA FAMÍLIA PRESSIONA?

Família pra mim são meus pais, minhas irmãs, meus sogros e minha cunhada, o restante são meus parentes, que também amo e respeito muito. Pois bem, minha FAMÍLIA não me enche o saco não, da parte do meu marido estão curtindo muito minha afilhada lindaaaa Maria Valentina, e na minha parte já temos um menino lindo, o Lucas e uma loirinha perfeita a Luiza, filhos das minhas irmãs, então ninguém me pressiona não, pelo contrário, meus pais são muito pé no chão e me aconselham sempre a esperar, pois sabem que é um desafio enorme. Minhã mãe não fantasia a maternidade pra mim, ela me fala de tudo, dos prós e dos contras, e isso é ótimo pra eu que nunca troquei uma fralda, nem sei por onde começar na verdade, assim já sei que nem tudo são flores. E tem mais, temos também a questão financeira, já que eu e meu marido somos jovens empreendedores e ainda não alcançamos estabilidade, portanto mesmo que eles pressionassem eu iria responder curta e grossa : Vai pagar as fraldas?

 

ENTÃO VOCÊ NÃO GOSTA DE CRIANÇAS?

Claro que não, amo meus sobrinhos e minhas priminhas, porém não sou a pessoa mais apegada a crianças não. E acho que trabalhar no comércio acaba colaborando para isso gente, porque quem trabalha vai me entender, é tanta criança chata e mal educada, que você vai ficando louca hahahah.

Mas assim, eu reconheço a beleza na infância, tem um programa no GNT sobre adoção e outro sobre Pais se eu não engano o nome é QUANDO NASCE UM PAI, gente eu choro horrores assistindo, primeiro porque tenho medo de morrer no parto rsrsrs e segundo porque tenho sonho de adotar também, pra mim a adoção é o maior ato de amor que existe. Então, eu tenho sensibilidade ao assunto, eu imagino que deve ser um amor lindo e incondicional, porém naõ me sinto preparada para receber essa graça, sou muito apegada a minha rotina, preciso evoluir espiritualmente para ter a alegria de ouvir bem de pertinho a palavra MAMÃE!

 

PARA CONCLUIR

Então garotas, me perdoem se o texto ficou muito grande, mas eu só queria dividir com vocês o que eu eu penso sobre essa sublime missão que Deus confiou as mulheres. Peço a opinião de vocês, e quero ler as histórias que tenham para contar, pois esse é um assunto que muito me interessa. Não julgo ninguém, pois não sei da rotina que levam, não sei das angustias e dos desafios, a única coisa que sei é que ter um filhos quase todas nós podemos, porém ser MÃE requer um pouco mais que um útero!

Um beijo cheio de carinho de quem está aos prantos em conseguir falar sobre isso.

                                                                                                               Thau.